• Mymi

Para todos os doramas que já dropei

Infelizmente eu nasci com o fardo de ter muitos interesses na vida e gostar de histórias, que sejam ou muito boas ou muito ruins. O mais ou menos não importa. E a não ser que eu viva até os 101 anos como a minha bisavó paterna, e acho que nem assim, eu teria tempo pra acompanhar tudo o que desperta minha curiosidade. A medida que fui amadurecendo (RISOS) eu decidi que se algo não estivesse mais me agradando eu deixaria pra trás. E fiz isso com coisas banais, como filmes e séries, e coisas mais sérias, como faculdade e namoros.


Com a popularização do ato de assistir vídeos com a velocidade aumentada me vi tentada a dar chances para coisas ruins, e foi assim que eu consegui terminar Tale of Nine-Tailed, vulgo drama da raposa. Então foi a hora de parar pra refletir se valia a pena me prender a algo que eu odeio só pelo prazer de falar mal depois ou de abrir espaço pra coisas mais divertidas. E foi assim que consegui dropar Oh Master, realinhando novamente meus chakras e reequilibrando o universo. Segue abaixo uma lista de dramas que eu acho que não valiam meu tempo, e talvez não valham o seu também.


- dramas que larguei porque o ator protagonista PISOU DEMAIS NA BOLA aqui fora


My Only Love Song (2017): um drama que me encheu de esperança e felicidade quando saiu, pois tinha O MEU CASAL de We Got Married sendo um casal, com direito a BEIJO E TUDO. Mas aí eu fui enrolando pra terminar e homem é um bicho traiçoeiro, e nesse meio tempo descobrimos que o ex-ator, ex-cantor, ex-humano que protagoniza essa merda era um lixo e eu não consegui separar o artista da obra. Fui até o episódio 6.


Rooftop Prince (2012): dizem que ignorância é uma benção. Eu estava muito feliz assistindo tardiamente a este drama, por volta de 2016, quando decidi procurar no Google por onde o protagonista (não vou citar nomes explicitamente porque até o goleiro bruno tem fãs, imagina um ex-idol). Descobri que ele era o próprio príncipe herdeiro do reino de Chernobyl e não consegui mais terminar, parando exatamente no episódio 10.


- dramas que larguei porque senti cheiro de tragédia, câncer e final infeliz


About Time (2018): a ideia desse kdrama era interessante - a protagonista tinha a habilidade de ver o tempo de vida que restava das pessoas. Daí rolava uma parada de que o relógio dela parava quando ela ficava perto do male lead e o dele aumentava. Eu achava também que o casal não ornava muito e larguei no episódio 3. Nem me interessei de ir ver como termina.


My Absolute Boyfriend (2019): um protótipo de namorado robô perfeito e uma humana tava na cara que não ia terminar bem, então larguei antes de ter meu coração partido pelo dia em que provavelmente a pilha do robô ia acabar. Fui até metade do episódio 4.


Oh Master (2021): era meu drama feliz e fofinho, até todo mundo de repente ter doenças horríveis, incluindo câncer, ou ter que sumir por ser filho de anjo. Episódio 9, um divisor de águas.


- dramas que larguei porque comecei a assistir em 2009 e quando me deu vontade de terminar não achei mais pra baixar


Couple or Trouble (2006): esse drama é remake de um filme da Goldie Hawn. A protagonista é uma mulher rica que perde a memória e se apaixona por um pobre. O cara sabe quem ela é, mas decide não contar pra ~se vingar~ e aí ela vai trabalhar de babá pros irmãos, filhos, enfim não lembro, dele. Eu teria terminado de assistir, mas assim como muitos relacionamentos que nunca aconteceram fomos vítimas do timing. Também larguei no episódio 3.


- dramas que sinceramente eu nem lembro


Easy Fortune Happy Life (2009): eu tenho alguns flashes desse tw-drama, como uma casa do mato pegando fogo, alguém se afogando em areia movediça e só. Larguei no primeiro episódio.


Kleun Cheewit (2017): que tem vários lakorns que passam um pouco do ponto do bom senso por aí não é novidade. Comecei a ver esse por causa do Mark (ator tailandês, não confundir com outros Marks). Daí rola uma história da protagonista ter atropelado e matado a namorada dele, ele querer vingança, a protagonista ficar pelada na sala da casa dele (?), e acho que no final eles viram um casal. Enfim, confuso demais pra mim, nem passei do episódio 3.


Love for a Thousand More (2016): esse eu comecei porque era uma websérie de apenas 10 episódios, mas que eu não senti vontade de ir além do primeiro. Não lembro de nada?


- dramas em que eu não fui com a cara de alguém


Just You (2003): esse eu comecei a ver porque o protagonista é o Aaron Yan, um QUERIDO (até onde eu sei). Mas a protagonista é insuportável. Nem toda a beleza, voz e simpatia dele me fizeram passar do segundo episódio.


Manhole (2017): a história era legal, toda vez que o protagonista entrava num bueiro ele voltava ao passado. Mas eu não fui com a cara da protagonista (meu problema vai além porque eu não gosto da atriz, DESCULPA FÃS DELA), então passei a torcer muito CONTRA e acabei largando no episódio 6.


Memories of the Alhambra (2018): esse é mais COMPLEXO, porque 1) eu só quis ver mesmo por causa do Chanyeol, que nem aparece direito; 2) eu tenho preguiça de ver coisa na netflix, nem sei porque assino; 3) eu não sou das maiores fãs da park shin hye, nunca consegui terminar NADA que tem ela. Aguentei até o episódio 3.


- dramas que eram chatos e por acaso são meu top 3 ÓDIOS


Undateables (2018): esse aqui quem conseguiu chegar até o final é um guerreirinho. Eu tentei muito devido ao meu grande amor pelo Nam Goong Min, e eu sei que ele vai me entender e me perdoar, mas quando chegou na metade do episódio 11 eu já tava quase mordendo meu próprio braço pra ter um pouco de emoção. Tortura não é entretenimento.


Something in the Rain (2018): literalmente NADA ACONTECE FEIJOADA. No começo a gente até se anima com o romance entre o cara e a irmã mais velha do amigo, mas depois fica apenas CHATO e não ajuda nada o Bruce Willis cantando de fundo. Morreu no episódio 6.


The Emperor: Owner of the Mask (2017): esse me fez passar tanta raiva com as artimanhas do Odebrecht de Joseon que eu cheguei a escrever uma review raivosa no tumblr, (veja trecho da minha indignação)


CADÊ A CHINA PRA INVADIR ESSE PAÍS E DAR UM JEITO NESTE HOMEM PORQUE OBVIAMENTE A PRÓPRIA COREIA NÃO DÁ CONTA?

coisa que eu nunca faço, pra externalizar o que eu tava sentindo. Parei no episódio 9 de 40.


Enfim, tem outros, mas eu não quis me alongar muito, cada um sabe o que é melhor pra si e se não gostar de algo tem que dropar mesmo, não importa a opinião pública, pois é muito libertador.



Se inscreva para não perder as novidades!

Obrigada por se inscrever!

ÚLTIMAS POSTAGENS

BUSCA DE POSTAGEM

*Se os gifs retirados do Tumblr não aparecerem corretamente, basta atualizar a página*

CATEGORIAS

TAGS

ARQUIVO DE POSTAGENS