• Kah + neereis

Nevertheless, e os corações flexíveis

Atualizado: 8 de out. de 2021

Traduzido como Apesar de Tudo, Amor, o drama estreia hoje na Netflix. E aí, pronto para a maratona?

Eu não mais acredito em destino ou amor. Mas essa situação é bastante irreal.

"Você quer ver borboletas?"

Nevertheless, é aquele tipo de história que começa enquanto. Como a vida, que tem começos e fins todos os dias, o drama tem no primeiro episódio as linhas finais de um relacionamento abusivo, seguindo a narrativa dos dias da protagonista, em meio aos encontros e desencontros consigo, com os outros, com o mundo. Na-bi (Han So Hee) está desacreditada das relações humanas. Cansada do amor, ela vive no limbo de parecer superar a separação recente, parecer não querer se abrir a mais ninguém, parecer não se envolver mesmo estando envolvida demais: no sentimento recém-descoberto e nos medos gigantes demais de sentir tudo de novo e, pior, sofrer tudo de novo.

E daí vem a metáfora da borboleta (significado do nome da protagonista, simbologia que ronda o protagonista). Numa análise sutil, a representação dos sentimentos: as efemeridades, as inseguranças, as descobertas, as sensações, as incertezas. Borboleta é bicho que nasce rastejante e se esconde num casulo por um tempo, evidenciando a necessidade de se viver de dentro-pra-fora: e me irritava muito todas as fanfics mentais que a Nabi fazia ao invés de conversar com o Jae-eon (Song Kang). Por ter medo de expor o coração novamente, ela tomava suposições como certezas ao mesmo tempo em que ele se escondia junto às incertezas de um sentimento que começava a nascer, sem que ele se desse conta. Daí eu te pergunto: quem nunca?


Às vezes, a realidade que você está enfrentando parece irreal. Como agora, enquanto estou andando pelas ruas cobertas de branco após uma queda inesperada de neve. É a mesma coisa quando você está apaixonado. Parece que você se tornou a pessoa mais especial do mundo. Parece irreal. Amor.

Assim, o impasse. Vulnerabilidade é o que nos torna humanos, mas a gente ainda nega essa faceta àquele que ama. Vence quem for mais indiferente. Ponto para quem se calar primeiro. Mais casulo... até que a borboleta ganhe asas. O fato de esse bichinho ganhar o céu remete à liberdade, à leveza. E se costurarmos com os relacionamentos retratados no drama, podemos afirmar que o amor é borboleta. Ao dividirem tudo de si e compartilharem os sentimentos e os receios, a comunicação se faz de firmamento para uma relação saudável (corta para Jae-eon abrindo o borboletário). E este é um ponto que nos faz questionar a maior parte das resenhas vistas por aí: relacionamento tóxico, a palavra dos últimos dois anos. Nevertheless, é uma história sobre amadurecimento e descoberta pessoal; por isso é tão real. As dinâmicas dos relacionamentos românticos caminham paralelas sob diversas perspectivas diferentes com demandas distintas, tal qual a vida, demonstrando os universos particulares de cada um.

Eu não sei se pela romantização do considerado "amor próprio" ou "relacionamento amoroso" em si, mas não vejo como tóxico um encontro entre duas pessoas que queriam estar juntas, mas não permaneciam juntas porque tinham medo de conversar sobre (olhe só!) aquilo que queriam, preferindo "negar as aparências e disfarçar as evidências". No momento em que eles, de fato, conversaram, houve um giro na trama que justificou o final, também terminado em vírgula, porque o drama, tal qual a vida, sabe que os começos também residem nos fins. Nevertheless, trouxe várias visões sobre amor e relacionamentos. É um drama de 10 episódios, visualmente bonito e que destaca as dificuldades das relações amorosas ao trazer a lente da realidade no que diz respeito ao sentir e se envolver.


É bobo, mas no momento em que nossos olhos se encontraram... a dor da separação que estava pesando sobre mim apenas um minuto atrás... derreteu como a neve.

OST e arte: protagonistas


A OST desse drama com certeza é um dos maiores pontos e de extrema qualidade. Todas as músicas são leves e gostosas de ouvir, e mesmo se você não quiser assistir a ele vale a pena conferir. Elas todas casam muito bem entre si, com o instrumental focado no violão acústico, então é como se você fosse reunir seus amigos e fazer uma rodinha de música num passeio de fim de semana, o que combina muito com a história do drama, centrada em jovens universitários, e faz com que ele tenha uma fluidez no seu desenrolar. Quase todas as músicas figuram na minha playlist de OST porque é impossível passar imune!



Foco principal da trama, a arte contemporânea de Nevertheless, faz a gente pensar sobre sentimentos e sobre o que é arte de verdade. Pra quem gosta do assunto, é um tema que em todos os episódios está presente de maneira importante, e não apenas como objeto para servir de profissão para os protagonistas, ela é a protagonista da história e contempla vários nichos diferentes de expressão artística. Me deu muita vontade de caminhar pela exposição realizada no final do drama!


Amor, sem filtros


Relacionamento e perfeição são duas palavras que não caminham juntas. Há dias e dias. Picos de subida e queda, mas há permanência porque há amor. E o enredo mostra essa imagem sem filtros dos relacionamentos reais em todos os momentos de dúvidas, incertezas, ciúmes, dor; confusão.

"Totalmente gostoso Nam Gyuhyun!" / Ah, os constrangimentos da mulher apaixonada...

Todos os relacionamentos do drama têm uma naturalidade bem realista, não apenas a confusão dos sentimentos dos protagonistas, mas como os amigos interagem entre si e com a faculdade. A vida não é algo em que seguimos um manual de instruções, onde todos temos apenas um modo de pensar e, consequentemente, viver. Nevertheless, mostra exatamente isso com seus personagens vivendo de acordo com sua personalidade e pensamentos, sendo imperfeitos no seu melhor jeito de ser.

"Porque se você fez isso sem pensar, então você está me machucando." / Sol, a maioral

Casais secundários

Assim como os protagonistas, nosso casal formado pela Bit-na e pelo Gyu-hyun (tudo! o homem que me faria pedir em casamento depois de um encontro e dois beijos!) também nos apresenta um relacionamento que podemos chamar de complicado. De personalidades bem diferentes, os dois melhores amigos se encontram em uma situação de mudança entre a amizade que sempre tiveram, e o amor que passaram a desenvolver. E esse desenvolvimento dos dois, com todas as conversas e adaptações, é LINDO de ver. Nevertheless, não decepcionou na hora de fazer diálogos ótimos durante as DR e esse casal é um grande exemplo disso. Todas as cenas deles me faziam exprimir gritinhos!

As rainhas da internet, Sol e Jiwan, também se encontram nesse ponto entre amizade e amor, mas com a complicação da descoberta da própria sexualidade. Foi a primeira vez que eu vi um relacionamento homoafetivo tão bem feito em um drama de uma emissora importante (só tinha visto em webdrama até hoje!). As cenas das duas explodiam química, aliás. Até hoje me pego pensando nas duas sentadas no balanço, o medo de dizer o que sentia, de ouvir o que a outra tinha a dizer... a felicidade do abraço que acolhe, que envolve, que demonstra um sentimento correspondido; que anuncia uma vida a duas, mas com roupagem diferente: do amor-amigo, ao amor-romântico e mais sons inaudíveis para ilustrar tamanha fofura entre as duas!


Gyeong-Jun e Min-Young formam aquele tipo de casal que você olha e pensa: estão casados há 84 anos. A cumplicidade e o companheirismo estavam impresso em todas as interações deles. Sabe aqueles momentos-de-mãe em que ela tá fazendo salada de frutas e segura uma vasilha no colo, uma tira de mamão numa mão, uma faca afiada na outra, e vai cortando cubinhos sem olhar para nenhum dos itens, enquanto vê TV ou conversa com a pessoa que está sentada junto a ela, entre risadas e fofocas? Eles dois. Não precisam se olhar para completar o pensamento, para adivinhar o que o outro precisa ou deseja. Acrescente-se a isso o fato de eles morarem na mesma casa, enquanto ela "não encontra um lugar perto da faculdade para morar", de ela ter conhecido a mãe dele (uma cena muito boa!) e deles adotarem um gatinho fofo: eu tô suspirando aqui, você tá ouvindo? Com eles, passei a desejar um namorado míope de mesmo grau pra poder usar os óculos dele quando não achar os meus!



Batatinha, o homem fofo

Do-Hyuk, nosso amado Batatinha, é um exemplar vivo de "homens escritos por mulheres" (literalmente, aliás, o que só comprova a teoria) porque ele é aquele tipinho que nos faz suspirar e querer chamar de seu. O homem é gentil, bom ouvinte, compreensivo, paciente tal qual Jesus, bonito, educado, guarda por você a "chama do primeiro amor" e, como se precisasse de mais alguma coisa (sim, tem mais!), ele cozinha e pipocam duas covinhas quando sorri. Uma completa ignorância. Sério, por quê? Eu também não sei. Em alguns momentos do drama eu fiquei com muita raiva dele porque, como diz meu pai, ele "de tão bom, é besta", e eu me peguei duas ou três vezes gritando um "SE VALORIZA!" pra tela enquanto ele insistia em assistir ao seu sentimento não ser correspondido. A alegria é que esse sorrisão continuou aberto no final, graças a Deus!


Flores não se abrem para apenas uma borboleta.

Nevertheless, é um lembrete: de que é possível se reconstruir, de que é possível se quebrar novamente, que é possível se permitir, que é possível amar novamente. Um lembrete de que todos os nossos sentimentos são reais e válidos, nevertheless,

Se inscreva para não perder as novidades!

Obrigada por se inscrever!

ÚLTIMAS POSTAGENS

BUSCA DE POSTAGEM

*Se os gifs retirados do Tumblr não aparecerem corretamente, basta atualizar a página*

CATEGORIAS

TAGS

ARQUIVO DE POSTAGENS