• dramasealgomais

Momentos de doramas que nos fizeram ficar em total estado de Layana, parte 3


dicionário da mulher romântica

Em junho do ano passado nós fizemos uma sequência de postagens que ilustraram, conforme diz o título, alguns momentos que nos deixaram em total estado de Layana, e que podem ser conferidas clicando aqui e aqui.


E para a alegria da nação romântica dorameira estamos de volta para esse Valentine's Day com a parte 3, já que colecionamos e veneramos momentos que nos fazem sentir que o amor é o melhor sentimento do mundo tal qual Gollum com seu anel precioso. E mais do que sentir e rolar na cama esperneando e gritando o grito de guerra doramístico "LAYANAAAA" (ainda no aguardo do dia em que a Lay vai nos processar por tornar seu nome quase uma marca registrada sem autorização), ver esses momentos é poder compartilhá-los e fazer outros sofrerem e ficarem em estado de barril também. Afinal, sofrer coletivamente por amor é o que nos move! Vem com a gente ver quais os momentos da vez que nos desgraçaram mentalmente:


Todas as vezes em que o Min Min (Park Hyung-sik) olhava pra Bong Bong (Park Bo-young) – Strong Woman Do Bong Soon, por Vanessa

Isso aqui, sabe, ISSO AQUI, meu pai...

Eu maratonei Mulher Forte esse mês e fiquei apaixonada por esse casal, principalmente porque ele se encantou por ela primeiro e se tem uma coisa que eu AMO ver é o homem sendo um cachorrinho previsível e completamente alucinado pela mulher amada. E quando ela se descobriu apaixonada por ele também, minha mente virou o palco particular do Galvão gritando "É TEEEETRA" enquanto tomava uma (quase)chave de braço do Pelé porque QUE MOMENTO, meu povo! Ali, Min Min e Bong Bong surgiram: o motivo do meu surto, do meu sorriso! Como se tudo isso não fosse suficiente, ele dava AQUELE olhar pra ela em praticamente todas as cenas (sério, eu não tô brincando, e por isso escolhi um vídeo também porque quanto mais conteúdo, melhor), ele DERRETIA olhando pra ela, era ao mesmo tempo lindo e constrangedor porque eu me sentia invadindo a privacidade deles, dele; era a coisa mais linda, mais doce, mais terna: era amor. E me deixa em estado de Layana apenas por me lembrar deles!


A rinha deliciosa entre Han Yun-Jae (Gong Yoo) e Song Ji-An (Bae Doona) – The Silent Sea, por Debora

A Netflix é, simplesmente, criminosa. Ela nos dá tudo, só para tirar no final. Mas ok, já superei, só choro quando lembro.


O fato de Yun-Jae ser um soldado exemplar, que segue ordens com a mesma rigorosidade que espera que àquelas as que dá, sigam-nas; já seria saboroso por si só. A tatuagem no pescoço completa o pacote de homem sisudo que, claramente, tem um PASSADO. Quando a tenaz e prática cientista Ji-An cruza seu caminho e eles precisam ir juntos em uma missão possivelmente mortal na LUA (romance???? na minha cabeça sim!), o pacote premium do estado de Layana foi ativado com sucesso. A primeira interação dos dois (acima) já acendeu fagulhas, que só foram aumentando durante a trama, enquanto eles discordavam de absolutamente tudo ("pedirei sua opinião quando achar necessário" ouch!), ela desafiava na cara e na coragem as ordens dele (sem tempo, irmão intensifies) e eles corriam atrás de seus objetivos pessoais na missão ao mesmo tempo em que não deixavam de se preocupar com a segurança um do outro.


O resultado dessa aventura espacial? Desnecessariamente CRUEL. Podíamos ter tido tudo, etc. Mas ao menos sempre teremos o sorrisinho de "Opa, que mulher?!?!?!?! Essa vai me dar dor de cabeça" de Yun-Jae diante da estoica e maravilhosa Ji-An para guardar do lado esquerdo do peito.


Yoon ji-woo (Han So-hee) e Jeon Pil‑do (Ahn Bo Hyun) algemados enquanto socam o pau nos bad guys My Name, por Debora

PEAK ROMANCE, se me permitem dizer como a romântica que também ama ação e ama mais ainda romance com AÇÃO porque significa momentos de bonding insuperáveis como o acima. Ela, com sede de vingança, disposta a sair matando geral, sem ligar se vai sair viva no final. Ele, já em total estado de gado, tentando evitar uma tragédia ainda maior, se algema a ela. Mas aí o roteirista faz sua verdadeira mágica e, como se já não fosse o suficiente o que aconteceu anteriormente, coloca os dois para lutarem juntos, provando sua sintonia e sincronia em ser um casal que poderia acabar com toda máfia da Coreia do Sul (te cuida, Vincenzo!) se a Netflix soubesse fazer finais. Chef's kiss! So blessed, so moved! So used to give and now I get to receive...e por aí vai!


O "prometo estar contigo na tristeza e na doença" de Yoon Hye-jin (Shin Min-a) – Hometown Cha-Cha-Cha, por Debora

É uma verdade universalmente conhecida que Hong Du-sik (Kim Seon-ho) e Yoon Hye-jin roubaram o coração de 99% da dramaland em 2021 ao provar que um casal pode entregar tudo o que uma romântica espera sem problemas de comunicação ou dramas desnecessários na relação. Com muito aegyo (alguns amaram, outros odiaram), o casal covinhas protagonizou momentos que transformaram a todos nós no meme fabricado de Michael Scott gritando WHERE IS THE LOVE OF MY LIFE? (a cena com chuva na praia! resolvendo problemas matemáticos numa mesa de restaurante! esfriando a mão no copo de gelo pra colocar no rosto dela que estava febril! secretamente falando bem dela para convencer o pessoal a ir na clínica da pobi dentista! e assim sucessivamente).


Mas o maior momento em que vivi uma mistura de sentimentos e só quis me deitar em posição fetal foi quando Du-sik, FINALMENTE, contou toda a verdade sobre seu passado traumático para a namorada e, esperando rejeição e julgamento, recebeu o maior e melhor acolhimento e conforto que alguém frágil emocionalmente pode receber. VOCÊ PODE FICAR TRISTE QUANDO ESTÁ COMIGO. VOCÊ PODE ME MOSTRAR SUA DOR. Gente???? SEM PALAVRAS, APENAS BERENICE BATEMOS E CAPOTAMOS PENHASCO ABAIXO. Eu penso muito sobre esse momento, especialmente quando estou triste, primeiro porque não me lembro de, na minha limitada lista de assistidos, ter presenciado algo tão claro e direto – e dito em voz alta – assim entre um casal quanto a emoções que não são felicidade pura. O amor também é sobre isso. Sobre poder estar triste sem medo, receios ou julgamentos perto de quem se ama. Sem medo de se abrir e terminar tudo com um sorriso fingido para amenizar a dor. Enfim! Hye-jin, a maior, a incomparável, ninguém acima dela.


TODOS (sério mesmo, T O D O S) os momentos entre Yu Tu (Yang Yang) e Qiao Jing Jing (Dilraba Dilmurat) – You Are My Glory, por Debora

Abram alas para a versão Naley (One Tree Hill) chinesa.


Não sabendo que era impossível fazer um casal como Yu Tu e Jing Jing, a China foi lá e fez! Com um plot cheio de clichês amados nos doramas, com pitadas de originalidade, o roteiro de You Are My Glory nos entrega dois protagonistas que se conheceram na escola, mas realmente se apaixonam e começam a ter um relacionamento durante a vida adulta. Tudo culpa de quem? Dele mesmo, Yu Tu, o engenheiro espacial mais lindo da Terra, quiçá da galáxia (assisti pelo plot etc.), que é um CDF e, por isso, rejeita a declaração da fofa e inocente Jing Jing. Anos depois O JOGO VIROU e agora ela é uma atriz e influencer famosa. O destino se encarrega de cruzar a vida dos dois novamente e nos entrega um pano de fundo com testes de robôs espaciais misturados com cenas em set de filmagens com cliques de câmeras em eventos chiques... mas o mais importante, depois que os dois se acertam (demora hein, porque né, o que Yutuzinho tem de bonito tem de lento) nem várias passagens de tempo (dá pra usar super bem esse recurso, sabia Start-Up?) nos tiram momentos deliciosos entre o casal ou nos roubam de um desenvolvimento consistente e bem feito. Ao contrário, vemos a relação, cumplicidade e carinho entre os dois crescendo e sendo refletida nos momentos cheios de cuidado, atenção e implicância que, no fim, transbordam amor e gritam DOMÉSTICOS!


You Are My Glory me deu tudo o que eu nem sabia que precisava e, talvez, por isso seja tão difícil expressar o quão tudo que envolve o relacionamento dos dois me faz gritar ROTEIRO CHEIO DE CONCEITO, COESO, ACLAMADO, então fiquem com cenas deles sendo o casal mais fofo, entrosado e AAAAAAAAAAJHDFSGJKSHDGAFJSDGHFKJDHF LAYANAAAA MINHAS MÃOS da galáxia.


A declaração de milhões de Yu Sheng Sheng (Liang Jie) e a resposta de bilhões de Jiang Yi (Zhang Xin Cheng) – The Day of Becoming You, por Debora

Quando uma fangirl encontra um idol que não vai com a cara e TROCA DE CORPO COM ELE, o que pode acontecer? VAI DAR NAMORO, como diria Rodrigo Faro. Com uma história divertida graças as pitadas de fantasia, The Day of Becoming You criou um plot que grita DEBORA ESSE AQUI É PRA VOCÊ! (Vanessa sabendo disso foi lá e me fez assistir, gratidão eterna).


Depois que nosso casalzinho supera as diferenças e as rusgas e, A MELHOR PARTE DE UM ROMANCE S E M P R E, começa a ver além das aparências e entender melhor as lutas internas um do outro somos agraciados com tantos momentos que me fazem até hoje abrir o Youtube e ficar vendo trechos das cenas para matar a saudade. Uma, em especial, está no top 1 dos charts da playlist estado de Layana: a da declaração de Sheng Sheng, seguida da resposta de Jiang Yi. Ela bebinha da silva porque ele se embebedou enquanto estava no corpo dela tendo que lidar com ele mal-humorado (um estado constante, amo) e explicar com as palavras mais lindas porque ser fangirl e amar um idol não nem de longe o mesmo que ela sente por ele.


A jornalista icônica mata dois coelhos porque além de explicar muito bem o que significa o amor de fangirl ainda faz o monólogo professando o amor incondicional por Yi de um jeito que me faz querer nadar todo o oceano até a China e agradecer pessoalmente o roteirista. "Você pode ser egoísta quando se trata de mim" sussurrado assim no ouvido...É sobre isso e não tá NADA BEM.


O band-aid de Nam Hong-joo (Bae Suzy) que provocou o maior GALVÃO? SENTIU! em Jung Jae-chan (Lee Jong-suk) – While You Were Sleeping, por Debora


Cara conhece menina maluquinha, que tem sonhos premonitórios e sonhou que ele a beijava, então passa a agir desde o primeiro momento como se ele estivesse já apaixonado por ela. Ele, naturalmente, fica SAI DAQUI MALUCA TODO DIA ISSO. Mas, mal sabe ele, que não é assim que a banda toca e no fundo, mesmo que ele conscientemente ainda não reconheça, já BATEU.


E aí claro, o primeiro momento que ele percebe com todos os neurônios que talvez esteja BATENDO é saboroso. "Que delícia", como diria tia Silvia. Ele se queimou cozinhando (quem nunca tentou fritar algo e queimou a TESTA?) e Hong-joo com seu jeito espevitado nem lhe dá um segundo para respirar direito, corre até a farmácia e como alguém mandona que se importa muito, trata os ferimentos mesmo sob os protestos dele. E eu te pergunto: COMO NÃO SENTIR num momento fofo, cheio de zelo e carinho assim? Nem Jae-chan nem o telespectador se livram de pensar layana....minhas mãos....não estou sentindo-as...


O relacionamento INTEIRO dos protagonistas The Red Sleeve, por Kah


Depois de muito atrasado por motivos de DEZEMBRO, finalmente consegui assistir a The Red Sleeve e fui arrebatada pelas interações mais fofas e especiais do casal protagonista. O amor "impossível" que eles construíram tão bem ao longo dos anos foi lindíssimo de ver e valeu todas as lágrimas naquele final horrível de trágico que só drama histórico sabe fornecer. Separei alguns momentos que me fizeram rolar pelo sofá enquanto assistia:

Ela (court lady) caindo no banheiro enquanto arrumava o banho dele (príncipe herdeiro). Obrigada por essa cena. Inesquecível.

Ela finalmente aceitando o "amor" e abrindo mão da vida como court lady para ficarem juntos. Que beijo, que cena.

Eles curtindo a vida de Rei e Concubina com ele dormindo no colo dela com aquele cafuné na cabeça. Lindinhos DEMAIS.


O amor enemies to lovers perfeito Our Beloved Summer, por Kah


Provavelmente o meu drama preferido do ano e ainda estamos em fevereiro. Incrível como esse casal e seus amigos mexeram TANTO comigo! Foram semanas lindas suspirando pelos diálogos apaixonantes e cenas belíssimas de personagens tão reais e que poderiam ser nossos amigos. Mas os momentos em que eles se abriam e deixavam a vulnerabilidade acontecer, foram demais para mim e eu me revirava toda dando gritinhos de POR FAVOR, FIQUEM JUNTOS PARA SEMPRE!

Como quando ela, depois de falar durante o dia que ver as cerejeiras floridas era besteira, chega com esse sorrisinho jogando as pétalas para cima e fazendo com que eles vivam o clichê romântico!!

Ou quando ele, apesar de dizer que odeia tudo que é relacionado a ela, vai procurar por ela na chuva.

Mas principalmente quando ele, com essa carinha de filhote pidão, fala que o que ele sempre quis foi ser amado por ela. Morri.


O questionamento da sexualidade The Kings Affection, por Kah


The Kings Affection e a paixão do protagonista pelo Rei, mesmo sem saber que ele é a mulher por quem ele é apaixonado desde criança, foi ótimo de acompanhar! Aquele gay panic que você ria e suspirava ao mesmo tempo. É muito legal ver como foi representado e como ele não procurou desculpas para o que tava sentindo, aceitou e foi! Mas esse relacionamento rendeu muitas cenas ótimas e uma delas, que me deixou bobinha foi aquela cena clássica de protagonistas se esbarrando e o homem segurando a mulher antes dela cair, mas nesse caso o contrário acontece e SUSPIRO.


O primeiro amor All of us are Dead, por Kah


A maratona de praticamente um dia desse drama valeu a pena apenas por causa de uma pessoa: Park Solomon. Totalmente encantada por esse ser humano de 1,83m e um talento incrível para seduzir todas as alunas da escola no meio de um apocalipse zumbi. Mas apesar de todas se encantarem por ele, ele só tem olhos para uma: Nam Ra, a sua presidente. O jeitinho como ele não consegue chamar ela pelo nome por "vergonha", ele cuidando dela depois da sua "transformação" e a declaração mais fofa da história dos zumbis coreanos. Do final, só consigo lembrar da carinha dele revendo o amor e perguntando se ela estava bem. Um anjo.


Esse BEIJÃOBad and Crazy, por Vanessa

Ato I: a vulnerabilidade do presente misturada a todas as memórias do passado em que os dois eram um. Quando o Soo Yeol engoliu em seco, eu congelei: LDW conseguiu dizer tudo com um único olhar.

Ato II: o desejo de, finalmente, saber se todas as camadas de incertezas que residem nela, também fazem morada nele. Hee Kyum apoiou a mão na perna dele e o beijou com a delicadeza que só as toneladas de insegurança sobre até onde se pode ir, podem garantir. Prendi a respiração.

Ato III: os fios de silêncio costurados sobre as cabeças deles; os olhares magnéticos; o querer. Gritinhos começaram a nascer em mim.

Ato IV: o beijão! E que beijão!! Eles baixaram a guarda, eles se permitiram reviver um sentimento que estava adormecido (e que tinha sono leve! por isso que eles nunca falavam no assunto para não arriscarem acordar todo o amor que sentiam um pelo outro...), eles nos deram essa cena belíssima... E eu? LAYAAAAAAAAAAANA!


A ladra de corações e o casal secundário ladrão de cenasMoonshine, por Vanessa

Eu poderia falar das cenas lindas entre a Hyeri e o Seung Ho e o detalhe da câmera sempre focar nas mãos deles de um jeito poético e bonito demais, mas o casal secundário, na reta final do drama, roubou meu coração e me deixou gritando pra TV pedindo para que eles fiquem juntos logo porque a dinâmica entre eles é maravilhosa e o jeitinho da Yeajin encantada pelo príncipe herdeiro é de suspirar!!! "Deixa eu te dar um aviso, eu não vou me apaixonar por você nem que você se torne a princesa," ele falou, depois de esperar por ela no portão no palácio. "Não se preocupe, eu não vou implorar por seu amor," ela respondeu, ao colocar a mão no peito dele, surpresa ao perceber que ele estava, sim, esperando por ela mesmo fingindo que não estava. "O que você está fazendo?", ele questionou, assustado com o toque dela; assustado com todos os sentimentos que faziam barulho por todo o corpo dele. "Eu vou roubar seu coração, Vossa Alteza Real. Apenas espere e observe, você nem vai perceber quando eu roubar seu coração!", ela levou a mão do peito dele para o dela, os olhos dele fixos nos dela, o ROMANCE!!!


Hong Dusik (Kim Seonho) existindo; simplesmenteHometown Cha-Cha-Cha, por Vanessa

Eu sou uma grande cadelinha por Kim Seonho e defendo o fato de que um homem que tem SONHO no nome é diferenciado desde o nascimento, daqueles que parecem de mentira de tão perfeitos, escritos por uma mulher etc. e tal. E daí ele deu vida ao Dusik e, não bastasse ter aquelas covinhas lindas, ficava olhando DAQUELE JEITO. Mordendo os lábios DAQUELE JEITO. HONG BANJAAAAAAAAAANG, EU TENHO FAMÍLIA!!! TENHA PIEDADE DO MEU POBRE CORAÇÃO (ele não teve, preciso avisar a vocês). E eu cheguei à conclusão de que Kim Seonho não está vivendo, simplesmente, ele está, diariamente, convencendo todo mundo a querer se casar com ele porque... precisa mesmo dizer? Olha essas imagens! Por fim, o esboço de mais uma grande parte do meu surto Layanístico em cada ep de HomeCha causado por todas as vezes em que Hong Dusik fazia ISSO (para curadoria na íntegra, clique aqui e agradeça a Debora depois):


Se inscreva para não perder as novidades!

Obrigada por se inscrever!

ÚLTIMAS POSTAGENS

BUSCA DE POSTAGEM

*Se os gifs retirados do Tumblr não aparecerem corretamente, basta atualizar a página*

CATEGORIAS

TAGS

ARQUIVO DE POSTAGENS