• dramasealgomais

Esse cara sou eu: 10 personagens com a energia de boyfriend/husband material


Assistimos a dramas, principalmente, porque amamos as histórias e a maneira que são contadas, mas temos de admitir que não é apenas por isso que ficamos viciadas. Dentre outras coisas, muitas vezes assistimos pelo plot (rs); aquele mesmo que usa gola alta, joga os cabelos para trás, chora e beija bonito demais e nos deixa suspirando ao twittar "oi, Deus, sou eu de novo, cadê o meu amor?". Esses rostos bem diagramados, combinados com configurações de fábrica que misturam sensualidade e fofura, dificultam a nossa vida de tal forma que tudo o que nós conseguimos é cantar baixinho as palavras do Djavan: "e o pensamento lá em você, eu sem você não vivo..."

O que você acha? Eu vou dizer que sou seu namorado.

Mas não é só daquela beleza helenística que estamos falando. Alguns protagonistas exalam peculiaridades que preenchem páginas de adjetivos, que fazem nosso coração acelerar seja pelo caráter, o sorriso bobo, os olhinhos que muito dizem, a voz suave, os gestos inesquecíveis, e que os tornam aquilo que gostamos de chamar de "boyfriend/husband material". Sabe quando você olha para a tela e faz o Ronaldinho Gaúcho no vídeo acima? É sobre isto.



E neste dia dos namorados, encerrando a sequência de postagens temáticas e voltadas ao 12 de junho, nós listamos alguns dos tantos personagens que passam essa energia de namorados/maridos ideais e feitos milimetricamente para nos matar um pouco mais a cada segundo.


Ko Ji-Seok (Kim SeonHo): Catch the Ghost, por Vanessa

Foi amor à primeira vista com este policial. E quando ele usou a farda para alegrar o coração de uma criança e todas as vezes em que se vestiu como o pai, para manter a mãe, uma mulher que sofria de demência e acreditava ser uma adolescente, feliz e acolhida, eu tive mais certeza de que ele era aquele. Responsável, paciente, comprometido, amável e extremamente charmoso (BELÍSSIMO!), Ji-Seok também é real demais: exausto 24/7 e fazendo malabarismos com as finanças (até parece brasileiro). Ele abdicou de promoções na carreira e de relacionamentos, vivendo no piloto automático por tempo demais, como se tivesse que caber numa única versão de si mesmo para ser amado e eu só queria dar um abraço neste homem! Um chefe incrível e talentoso, um excelente colega de trabalho, uma companhia atenciosa e divertidíssima; um homem de família que é o tipinho "tudo o que se poderia pedir." Como se nada disso fosse suficiente, ele vira um grande gado quando apaixonado (a cena da vela!!! eu não supero a cena da vela!!!) e, pra terminar de me matar, é interpretado pelo sonho materializado (por mais cenas deste homem saindo do banho e enxugando o cabelo, por favor!) com aquelas covinhas matadoras e os olhos mais gentis do mundo que me fazem virar a Kelly Key numa serenata que diz: "o sorriso mais lindo, o olhar mais sincero, o meu porto seguro, a pessoa mais linda do mundo."


Sung Sun-Woo (Go Kyung Pyo): Reply 1988, por Vanessa

Eu amo você

Minha avó sempre dizia que se um homem é bom filho ele tem tudo para ser um bom marido e é impossível não remeter essa frase ao Sun-Woo. Um dos cinco amigos inseparáveis da emblemática rua Ssangmun, ele sempre foi o mais responsável da turma e muito disso está ligado às exigências da vida para que ele amaduresse cedo demais desde a morte do pai, o fazendo a referência masculina perfeita para a irmã caçula (um dia eu vou superar as cenas deles dois? acho que não), o melhor amigo de uma mãe amorosa e companheira demais, mas também bastante maluquinha; o amigo dos bons conselhos e para quem os outros abrem o coração. E por falar em coração, o desse homem é gigante! A preferência por mulheres mais velhas (representatividade importa!), a forma com que ele abriu espaço na confusão de sentimentos para receber e amar sua nova família, a maneira como ele cultivava os relacionamentos... não dá, eu só queria que ele dedicasse uma música para mim naquele programa noturno de rádio e me chamasse para fazer planos para o futuro também. Acima de tudo, ele permaneceu fiel à sua essência com o passar dos anos e a cada cena me conquistava um pouco mais com sua energia de pai de menina, sua forma de amar impressa em gestos de carinho, confiança e abraços quentinhos!


Ri Jeong-hyeok (Hyun Bin): Pousando no Amor, por Debora

Quando Ri Jeong-hyeok voltou para sua casa munido de shampoo, condicionador, Merthiolate e velas (não as aromáticas, como Se-ri havia requisitado, mas ainda assim o esforço!!!!! a intenção!!!!) depois de, com seu jeito sisudo de ser, ter jurado que não moveria um dedo para tornar a estadia da forasteira sul-coreana mais agradável ali na Coreia do Norte, eu sabia que, o que quer que viesse a partir daí, só comprovaria ainda mais como Capitão Ri não é só um ótimo boyfriend material, mas também husband material e, ouso dizer, um candidato perfeito a “pai de menina”.


É bom estar certa, né? Mas, às vezes, isso dói. Dói porque Jeong-hyeok é o homem perfeito, e por ser assim é claro que ele não existe. Mas, afff, tão bom ver Hyun Bin incorporando o soldado norte-coreano mais sisudo, teimoso e cabeça dura de todos, que vai amolecendo aos poucos frente a mulher descompensada que caiu, literalmente, de paraquedas na sua vida, e nos presenteando com um olhar que vai da desconfiança, para a solicitude e depois se transforma em preocupação, apreço, carinho e, finalmente, amor. Ver ele revelando sua vulnerabilidade e conhecer o homem por detrás da cara séria, como seu coração foi ferido com a morte do irmão, que também custou o sonho de sua vida como pianista renomado, só o torna ainda mais imbatível no primeiro lugar da lista de “homens pelo qual eu causaria uma comoção internacional na fronteira de dois países em guerra”.

O jeito que ele segura o guarda-chuva!

Sendo um homem de poucas palavras, ele até nos presenteia com declarações de esmurrar o coração (“eu vou ser grato pela pessoa que amo ainda estar respirando”), mas o que mais nos deixa suspirando e sonhando por um Capitão Ri para chamar de nosso são seus incontáveis gestos, todos insuportavelmente perfeitos, atenciosos e cheios de um cuidado que transcende qualquer conceito que já conheci. E nem estou falando de entrar na frente de uma bala pela amada, afinal, como diria o meme das românticas, “it’s about the details”. Quando ele faz toda uma cena, carrancudo, por Se-ri presenteá-lo com um pé de tomate, mas logo em seguida segue o conselho dela de falar coisas boas para a planta e solta um sussurrado “piano”... Eu acho que nunca me recuperarei; quando ele apaga a vela, deixando ambos no escuro, para que ela possa chorar sem refreio já que “não gosta quando outros a veem chorar”; quando ele compra tudo o que uma Se-ri sem filtro e sem noção deixa escapar que quer na viagem de trem; quando ele dá um pequeno passo para um homem, mas um grande salto na história da divisão das Coreias ao atravessar a fronteira para dar um beijo na sua alma gêmea, esquecendo por um momento o soldado leal que é em prol do sentimento que o preenche por completo; quando ele enche a geladeira de Se-ri de comida, coloca os potes em uma prateleira para que ela consiga alcançar e deixa um ano de mensagens gravadas para que ela não se sinta tão só. É tudo sobre isso, sabe.


Bong Doo-Sik (Son Seung-Won): Eulachacha Waikiki, por Vanessa

Como dizer não a essa carinha, me diz?

Waikiki é uma pousada dirigida por três amigos (muito idiotas e muito unidos, graças a Deus!) e o local onde eu conheci (e me apaixonei) pelo Dudu. Doo-Sik é, talvez, o mais sensato ou o menos irresponsável do trio de amigos. Ele é um escritor (de fanfic!) feat pego-qualquer-trabalho-de-meio-período-que-me-pague-bem que é completamente precioso, amável, fofíssimo, inteligente, gentil e bastante sonhador: foi amor à primeira vista! Dudu, acima de tudo, queria um amor para chamar de seu, e a alma romântica desse homem me cativou porque não existiam limites para ele quando o assunto era fazer a pessoa amada feliz: cantar uma paródia ao vivo num programa de rádio pra divulgar o trabalho da sua mulher? Check. Incentivar e participar ativamente de todos os sonhos da sua amada? Check. Quase morrer por causa da sua morena? Check. Me matar sempre e todas as vezes em que me provou por a+b que seria um excelente pai de menina ao ser o melhor tio que a Sol poderia ter? Check. Check. Check. Eu não sei se era a carinha de neném, os oclinhos redondos, os moletons, o sorriso tímido, o ursinho em cima da cama ou todas as cenas em que ele manteve Sol em seu colo como se eles tivessem nascidos assim, grudadinhos. Eu não sei se era a sua força de vontade, o senso de humor, a sua fé em dias melhores, seu coração devotado à família forjada na amizade. O que eu sei é que quis entrar na história e fazer o Dudu se apaixonar por mim...


Kang Sun-Woo (Jo Jung-Suk): Oh my Ghost!, por Vanessa

Eu sou bom na cozinha, sou bonito e espirituoso.

Eu sou taurina e o maior clichê (corretíssimo, por sinal) que ronda meu signo é o fator comida. Um dos meus apelidos a partir dos 15 anos era "maria palheta". Eu comecei a assistir a Oh my Ghost! e foi impossível não me encantar pelo Sun-Woo, um famoso Chef que, olhe só, também toca violão e canta: foi pra mim que eu sei! Famoso pelo talento culinário, ele também é bastante popular com as mulheres, escondendo-se atrás de uma autoconfiança que, na maioria das vezes, é interpretada como arrogância. Nosso Chef, na verdade, é extremamente competente, metódico, perfeccionista, atencioso e, principalmente, na dele. Quando a Bong-Sun começa a agir de maneira diferente, após ser possuída pela fantasminha virgem, a primeira coisa que ele faz é marcar uma consulta para a funcionária com humor e personalidade alterados. Depois do diagnóstico do especialista, Sun-Woo revela sua versão exclusiva, até então, para a irmã e a melhor amiga: o homem que cuida, que acolhe, que se preocupa. E que resiste às tentações por mais tentadoras que elas sejam porque a Bong-Sun poderia ser facilmente processada por assédio sexual! E aí começou o meu problema porque eu queria me casar com ele.

Eu fiquei igualzinha apoiada na tela da TV

Como alguém consegue resistir a esse homem que trabalha tão bem com as mãos, tem um sorriso belíssimo, um senso de humor peculiar e que, depois de te fazer uma refeição completa ainda te presenteia com uma serenata (Kyungsoo, é você?)? Não dá! O que eu faço com as imagens dele se arrumando na frente do espelho todo felizão? E desabafando com o Stalker, o cachorrinho que adotou? E me fazendo morrer com a diferença de altura ou na pegada explícita seja na pia da cozinha, seja no terraço da sua casa? O que é que eu faço ao me lembrar dos comentários dele no blog da Sunshine ou dele todo nervoso na plateia do programa de culinária? Ele sorria mais a cada vez em que assinava a carteirinha de gado enquanto eu chorava um pouco mais por saber que, tal qual a música do RBD, eu posso "ver, pero no tocar." [no momento em que terminei de digitar, começou a tocar Marry You, do SHINee. Pois é, bateu].


Go Dong-Man (Park Seo Joon): Fight My Way, por Mari

Dong-Man é um figurante na lista de boyfriend material que nos mostra que a matéria-prima muitas vezes precisa ser trabalhada, e são anos de trabalho, esculpindo e moldando, mas o resultado é garantido e b-e-l-i-s-s-í-m-o.


Go Dong-Man é lerdo, podemos até colocá-lo na categoria de himbo: músculos demais (amém, PSJ) e uma atividade cerebral que deixa a desejar. Isso o faz demorar alguns anos para conectar as linhas e entender que a pessoa que sempre esteve ao seu lado é quem ele realmente ama, mas mesmo sem ter feito essa conexão, entendemos o porquê da Ae-Ra ter se apaixonado. Dong-Man é amigo, dedicado, acredita sem limites nela e em seus sonhos, carrega sua bolsa, parte para agressão com os boys lixos que são escrotos com ela, a busca no trabalho, finge que namora com ela na frente das ex-colegas chatas, celebra suas vitórias com a devida intensidade, a consola quando precisa e ainda a esconde quando ela está em crises de choro e faz caretas de mulher de chorona. E ele gosta de dormir desse jeitinho ai. Precisa de mais alguma coisa?


Jeon Nok-Du (Jang Dong-yoon): The Tale of Nokdu, por Mari

Eu adoro falar sobre linguagens do amor: palavras de afirmação, tempo de qualidade, presentes, toque físico, atos de serviço, adotar a garota que você ama como filha para libertá-la enquanto se passa por uma viúva para descobrir quem está ordenando ataques a você e sua família.


Jeon Nok-Du é o melhor tipo de boyfriend material da era Joseon. Mesmo sabendo pouco sobre Dong Joo, ele nunca a força a contar mais do que ela se sente confortável em revelar naquele momento. Percebendo o sofrimento que ela carrega, ele sempre tenta aconselhá-la a se permitir a ser feliz e aproveitar os bons momentos, mas sem colocar empecilhos no caminho que ela decide seguir. Nok-Du respeita seus medos e as decisões de Dong-Joo, sem nunca soltar sua mão. Tudo isso enquanto passa por suas próprias tempestades e descobre verdades amargas sobre sua origem. Ele pode passar por poucas e boas, mas com Dong Joo, ele sempre escolhe a gentileza. E quando a ocasião permite, ele se torna um ótimo husband material, ferrando o orçamento da casa porque achou um hanbok que deixaria sua esposa ainda mais linda.



Seo Gong-Myung (Park Sung-Hoon): Into the Ring, por Vanessa

Eu te protejo, amor

Into the Ring é um dos meus dramas preferidos e isso vai muito além do plot (mais uma dica precisa da Kah pra mim, pra variar) porque o casal protagonista é um dos mais bonitos e complementares que existem. Sabe aquela máxima de "o que falta em um sobra no outro"? Eles. E, como não há dois sem um, eu preciso dizer que o Gong-Myung (quem mainha chamava de feio no começo, mas mudou de ideia depois de vê-lo com o novo cabelinho) é um namorado dos sonhos. Ele é desajeitado, caladão, péssimo com interações sociais e, à primeira vista, certinho e mal-humorado demais. Dos sonhos, Vanessa? Sério. Ai, Gabi, só quem viveu sabe... À medida que ele e a Goo SeRa vão interagindo, faíscas acendem: seja as do sentimento, seja as da transformação interna que o permitem trazer à tona muito do que ele guarda dentro de si mesmo e, por vezes, só confidencia ao peixinho. Ele é bastante companheiro e leal, o melhor amigo antes e durante o relacionamento, e tem um coração imenso apesar de ser, neste caso, o cérebro para o coração da amada. Goo SeRa é impulsiva, incontrolável, mas jamais indiferente. E é esse ponto que os une. Porque ele nunca é indiferente ao universo particular dela, daquele jeitinho apaixonado que fica rindo pra bilhetinhos com desenho de coração durante sessão parlamentar por saber que encontrou o seu "para sempre" nos braços de outro alguém.


PS: aqui ele (e a Nana!!) cantando trilha do drama pra deixar nosso dia ainda mais fofo.


Nam Joo Hyuk em tudo o que faz, mas principalmente em Weightlifting Fairy Kim Bok Joo e School Nurse Files, por Kah


Eu não sei você, mas esse ser humano nasceu para ser o namorado perfeito em dramas românticos! A carinha perfeita, o porte perfeito, a voz perfeita... ele é o namorado perfeito!

Em Bok Joo a gente viu ele mais novinho sendo o namoradinho/melhor amigo que todas gostariam de ter. Ele aceita todas as diferenças, apoia a amada, faz caras e bocas para fazer ela feliz, é meio tobozinho pra encantar a gente com as trapalhadas... ai ai *suspira* Nam Joo Hyuk nasceu pra fazer a gente gritar por aí por ser solteira e querer um igual.


Com School Nurse Files temos um Joo Hyuk mais velho e num papel bem diferente: professor de letras (mandarim) com uma deficiência na perna que faz com que ele ande mancando. É completamente o oposto do ator que geralmente vemos sendo atlético e endeusado pela beleza, nesse caso ele é alguém "comum" e que até sofre pelos padrões coreanos de perfeição. Mas mesmo assim, pra quem é uma jovem apaixonada por romance, ele está perfeito. O sorriso perfeito está lá, a carinha de tobó está lá e a aura de namorado perfeito mais ainda. Toda vez que eles se dão as mãos para que a enfermeira possa se "recarregar" com a energia dele, era um suspiro meu aqui em casa.


Se eu for falar dele em outros lugares a gente não sai daqui hoje, mas acho que todo mundo entende o apelo que esse homem tem. É o namorado perfeito SIM.


Lee Do Hyun em tudo o que faz, mas principalmente em 18 Again, por Kah

Como falar de Lee Do Hyun? Quem me conhece sabe que eu sou apaixonada nesse ator desde Hotel del Luna e desde quando comecei a acompanhar a carreira dele sendo o pequeno second lead maravilhoso da IU eu sabia que ele ia me dar momentos ótimos na tv para assistir! E hoje, um dia após chorar (de verdade) horrores com o final de Youth of May posso falar que ele não me decepcionou em NADA.


Para quem não o conhece, depois de Hotel del Luna ele protagonizou o remake coreano do filme do Zac Efron, o drama da JTBC, 18 Again. Ver ele sendo PAI de crianças e adolescentes foi tudo o que eu precisava para me apaixonar mais ainda e ficar: queria CASAR com esse homem, como faço?????? Ele tem o ar de marido ideal que só assistindo a 18 Again e sofrendo um divórcio que não é seu para saber. A dor do marido e pai tentando voltar a ter sua família de volta é lindíssima de ver e o Do Hyun fez como ninguém teria feito. Acompanhar os papeis tão diferentes que ele tem feito nos últimos anos é lindo e ele já disse numa entrevista que pretende ser o MESTRE DAS ROMCOM antes de se alistar no exército, ou seja, ponto pra ele que definitivamente vai ser o marido perfeito em muitos dramas ainda, se deus quiser!

 

Chegamos ao fim das postagens especiais sobre o dia dos namorados e, certamente, a sensação que fica após essa overdose de sentimentos é que estamos muito bem servidas na dramaland, hein?


Ele é perfeito!


Se inscreva para não perder as novidades!

Obrigada por se inscrever!

ÚLTIMAS POSTAGENS

BUSCA DE POSTAGEM

*Se os gifs retirados do Tumblr não aparecerem corretamente, basta atualizar a página*

CATEGORIAS

TAGS

ARQUIVO DE POSTAGENS